Empresário João Rafael é condenado por chamar religioso de "padreco de meia tigela"

Por Juka Martins em 17/09/2021 às 22:45:00

A Justiça condenou em sentença de primeiro grau o empresário João Rafael de Aguiar a indenizar por danos morais o padre Adauto Tavares Gomes, da Diocese de Guarabira, com atuação na Paróquia de Guadalupe, naquele município. A informação foi publicada pelo site FontePB, do radialista Pedro Jr.

Terrivelmente evangélico, o empresário dono de duas emissoras de rádio em Guarabira, destratou o padre ao chama-lo de "padreco de meia tigela", em razão de opinião do padre em relação às pessoas que defendem o presidente Jair Bolsonaro.

No começo do mês de março passado, João Rafael de Aguiar saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro, das críticas feitas pelo padre Adauto Tavares, durante homilia na missa dominical.

Em entrevista a uma de suas rádios, João atacou o religioso por ter se considerado atingido quando o padre disse que os eleitores do presidente também não têm moral e chamou Jair de "genocida" e "sem moral".

O empresário tachou o padre Adauto de "padreco de meia tigela", defendeu o presidente, disse que o padre não tem moral nem dignidade e que defende a bandidagem.

"O senhor não tem moral, o senhor não tem dignidade, o senhor é um politiqueiro, o senhor defende a bandidagem, como defendeu um presidente ladrão e nunca levantou a voz e agora não está acostumado com um presidente honesto", relembra a matéria do Fonte PB.

Por causa dessas declarações o religioso acionou a Justiça e o empresário foi condenado ao pagamento de R$ 10 mil de indenização por dano moral e segundo o referido site apesar da decisão, ainda cabe recurso.

Do Portalmidia

Comunicar erro

Comentários