Polícia Federal, CGU e MPFP cumprem mandados de busca e apreensão na cidade de Mulungu, no Agreste paraibano

O Secretário de Administração e Finanças do município é suspeito de atuar no desvio de recursos de combate à Covid-19

Por Juka Martins em 21/07/2021 às 14:50:22

Agentes da Polícia Federal, da Controladoria Geral da União, e do Ministério Público Federal da Paraíba estiveram realizando uma operação na manhã desta quarta-feira (21) na cidade e na zona rural de Mulungu, aqui na região de Guarabira, no Agreste paraibano.

O principal alvo da operação denominada de "Falso Latere" é o Secretário de Administração e Finanças do município, José Ribeiro Rodrigues.

Segundo informação publicada pelo Blog MaisPB, documentos apontam José Ribeiro como suspeito de usar dois funcionários (Jordan Antônio Machado e Edinaldo Francisco Bento) de uma cerâmica da sua propriedade (Cerâmica União LTDA) e que também prestam serviços ao município, para se apropriar de recursos do município destinados para o combate à pandemia de Covid-19.

De acordo com a denúncia, familiares e vizinhos de Jordan Antônio aparecem como "fantasmas" e teriam recebido vários pagamentos. Ao todo são 12 pessoas, entre elas, primos, cunhados, sogro e sogra, além de dois vizinhos.

Os pagamentos referentes à denúncia são na ordem de R$ 224.801,28, que deveriam ser usados no combate à pandemia.

"Jordan foi contratado pelo município, sem licitação, para prestar o serviço de motorista, "conduzindo profissionais da UBS IV para visitas domiciliares", nas seguintes datas: 20.08.2019, 27.11.2019, 31.10.2019, 09.01.2010, 13.02.2020, 04,03,2020, 07.04.2020, 05.05.2020, 03.06.2020, 01.07.2020, 29.07.2020 e 11.08.2020. No total, recebeu pelos serviços supostamente prestados R$ 26.282,00 (vinte e seis mil, duzentos e oitenta e dois reais), sendo que a CGU verificou que R$ 19.542,00 (dezenove mil, quinhentos e quarenta e dois reais) foram provenientes de recursos federais".


O veículo contratado para o referido transporte, de placas QFD-3023 PB, é de propriedade da esposa do investigado, Dayane Ferreira dos Santos, que tem cargo comissionado como diretora escolar de Mulungu.

No que se refere a Edinaldo Francisco, ele também foi contratado sem licitação para prestar serviço também como motorista, transportando profissionais do CAPES para visitas domiciliares nos dias 07.01.2020, 09.01.2020, 10.01.2020, 29.01.2020, 14.02.2020, 28.02.2020, 24.03.2020, 23.04.2020, 21.05.2020, 08.06.2020, 03.07.2020 e 04.08.2020. Pelo serviço supostamente prestado ele recebeu 10.958,00 (dez mil, novecentos e cinquenta e oito reais), sendo R$ 1.345,00 (mil, trezentos e quarenta e cinco reais) de recursos federais provenientes do SUS (id. 4058204.8102855,fl.6).

Equipes da Polícia Federal, do MPFP e da CGU fizeram buscas e apreensões tanto na zona rural quanto na cidade.

Da Redação com MaisPB

Comunicar erro

Comentários