Olimpíada de Matemática da Unicamp será totalmenteonline

OMU - Acervo PODEMOS/Direitos reservadosNova realidadeO professor de matemática, Otávio Salles, lembra das outras edições da competição, em que levou os alunos a Campinas...

Por Juka Martins em 05/04/2021 às 11:56:48

OMU - Acervo PODEMOS/Direitos reservados

Nova realidade

O professor de matemática, Otávio Salles, lembra das outras edições da competição, em que levou os alunos a Campinas para fazerem a OMU. “Era muito legal levar os alunos. Juntar um ônibus e levar. Ia muito aluno. Eles animavam de estar em Campinas, conhecer a cidade e interagir com colegas de outros estados”, lembra.

Salles coordena o Programa Orientador do Desenvolvimento do Ensino da Matemática Olímpica e Seriada (Podemos), grupo de estudo voltado a alunos que querem participar de olimpíadas. O projeto envolve vários alunos de escolas públicas. “Não são alunos ricos que têm condições de pagar um professor particular. São alunos muito interessados em estudar”, diz.

Segundo o professor, a pandemia trouxe para o seu grupo estudantes que antes não podiam participar por questões geográficas. “Venho falando há dez anos – quando sugiram os smartphones – que essa é a revolução do ensino”, destaca. Ele alerta, porém, que a maioria das pessoas não está preparada para estudar em tempos de pandemia. A educação, ela necessita desse elemento afetivo e a internet esfria tudo, acho uma limitação muito séria”.

Para Salles, a dica é “acorde, se vista e se prepare”. Segundo ele, quando você fica de pijama o dia inteiro, “amolece”. O professor destaca que as três fases da OMU serão online e terão a mesma duração de uma semana. Em todas, o aluno poderá fazer consultas, usar softwares e buscar referências para embasar sua resposta. O professor destaca que, mesmo que o aluno não consiga chegar à resolução da questão é importante manter o raciocínio exposto para a avaliação dos julgadores.

De acordo com o estudante Thiago Labanca, a preparação acaba ajudando a tirar um pouco o foco da pandemia e o peso da educação a distância, já que o aluno interage com outros estudantes. É também uma forma de não perder o foco: “O aluno que vai participar da olimpíada ele estará pesquisando, resolvendo os simulados, acompanhando os blogs das olimpíadas. Isso é um método para não perder o ritmo dos estudos”.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro

Comentários

Tapiocaria Silva