Banner Lives

Jovens saudáveis devem ser vacinados contra Covid-19 só em 2022, diz OMS

Swaminathan estima que vacinas comprovadamente seguras e eficazes contra Covid-19 podem estar disponíveis no próximo ano, mas ainda n√£o em quantidade suficiente [...]

Por Juka Martins em 15/10/2020 às 10:10:57

Swaminathan estima que vacinas comprovadamente seguras e eficazes contra Covid-19 podem estar disponíveis no próximo ano, mas ainda n√£o em quantidade suficiente para toda a popula√ß√£o.

"Haver√° muitas orienta√ß√Ķes saindo, mas acho que uma pessoa comum, um jovem saud√°vel, pode ter que esperar até 2022 para receber a vacina", disse ela.

Em entrevista recente, a OMS afirmou que pode aprovar vacinas que comprovarem 50% de efic√°cia na imuniza√ß√£o contra o coronavírus. No momento, ainda n√£o h√° produtos chancelados pela organiza√ß√£o.

Mais de dez vacinas est√£o na fase final de experimentos clínicos, feitos para determinar se s√£o capazes de imunizar e se n√£o provocam efeitos colaterais graves.

Recentemente, o Sage (grupo de especialistas em imuniza√ß√£o da OMS) publicou recomenda√ß√Ķes (no original) sobre como priorizar a distribui√ß√£o de vacinas entre diferentes grupos de pessoas.

A cientista-chefe disse que, conforme forem sendo aprovadas vacinas, haver√° novas orienta√ß√Ķes.

"A maioria concorda que se deve come√ßar com profissionais de saúde e trabalhadores de linha de frente, mas é preciso definir quais deles est√£o em maior risco".

"Precisamos ter certeza de que vacinamos aqueles que est√£o em maior risco em todos os países antes de vacinarmos todos em alguns países", afirmou a líder técnica da OMS Maria van Kerkhove, na mesma sess√£o de respostas.

A OMS voltou a alertar que o fato de que as curvas de mortes por Covid-19 n√£o tenham subido tanto quanto a de novos casos, n√£o se deve baixar a guarda contra a transmiss√£o. "O aumento da mortalidade sempre vem algumas semanas depois do aumento dos casos", disse Swaminathan.

Mesmo quando n√£o provoca mortes, a infec√ß√£o por coronavírus pode deixar sequelas de longo prazo, ainda n√£o totalmente conhecidas. H√° pesquisas sobre danos cardíacos, pulmonares e neurológicos e, nesta semana, o Reino Unido registrou um caso de perda irreversível de audi√ß√£o.

Van Kerkhove enfatizou que mesmo sem uma vacina, j√° h√° ferramentas comprovadas para impedir a dissemina√ß√£o do coronavírus, como usar m√°scaras, evitar multid√Ķes e lavar as m√£os com frequência.

Fonte: Banda B

Coment√°rios

Happy Kids
Tapiocaria Silva