Banner Lives

S√£o Paulo vai receber 5 milh√Ķes de doses da CoronaVac em outubro

Até outubro, o governo de S√£o Paulo vai receber as primeiras 5 milh√Ķes de doses da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus que est√° sendo desenvolvida pela [...]

Por Juka Martins em 22/09/2020 às 06:06:35

Até outubro, o governo de S√£o Paulo vai receber as primeiras 5 milh√Ķes de doses da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus que est√° sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac com apoio do Instituto Butantan. Segundo o governadorJo√£o Doria, o estado deve receber 46 milh√Ķes de doses do imunizante até dezembro.

O acordo feito pelo governo paulista com a Sinovac prevê, inicialmente, o envio de doses prontas ou semiprontas da CoronaVac fabricadas na China. Também h√° previs√£o de transferência de tecnologia, ou seja, o Instituto Butantan poder√° produzir doses dessa vacina.

A CoronaVac j√° est√° na fase 3 de testes em humanos. No Brasil, os testes tiveram início em julho, com 9 mil volunt√°rios em centros de pesquisas de seis unidades da Federa√ß√£o: S√£o Paulo, Distrito Federal, Riode Janeiro, Minas Gerais, Rio Grandedo Sul e Paran√°. Caso seja comprovada a efic√°cia, a vacina ter√° de ser aprovada pela Agência Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria (Anvisa) antes de ser disponibilizada para imuniza√ß√£o no Brasil.

A vacina é inativada, ou seja, contém apenas fragmentos do vírus, inativos. Com a aplica√ß√£o da dose, o sistema imunológico passaria a produzir anticorpos contra o agente causador da covid-19, a doen√ßa provocada pelo novo coronavírus. No teste, metade das pessoas receber√° a vacina e metade receber√° placebo, subst√Ęncia inócua. Os volunt√°rios n√£o saber√£o o que v√£o receber. A vacina est√° sendo aplicada em duas doses.

Plano estadual

Em entrevista concedida no Pal√°cio dos Bandeirantes, Doria voltou a dizer que a inten√ß√£o do governo paulista é repassar a vacina para o Ministério da Saúde para que o imunizantepossa ser distribuídoa toda popula√ß√£o.

Ele admitiu, no entanto, que j√° existe um plano estadual alternativo para distribui√ß√£o da vacina, caso n√£o seja feito um acordo com o governo federal. Neste caso, a vacina√ß√£o aconteceria somente para os moradores do estado de S√£o Paulo, popula√ß√£o estimada em cerca de 45 milh√Ķes de pessoas.

"O que eu posso garantir é que os brasileiros que residem em S√£o Paulo n√£o v√£o ficar sem a vacina", disse Doria.

Fonte: Agência Brasil

Coment√°rios

Happy Kids
Tapiocaria Silva