Banner Lives

Com polêmicas do VAR, Atlético-MG bate São Paulo por 3 a 0

Os minutos iniciais da partida entre São Paulo e Atlético-MG, duelo válido pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro, davam a impressão de que o Tricolor conseguiria [...]

Por Juka Martins em 04/09/2020 às 00:16:19

Os minutos iniciais da partida entre São Paulo e Atlético-MG, duelo válido pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro, davam a impressão de que o Tricolor conseguiria vencer e convencer o seu torcedor com um bom desempenho. O time trocava passes com muita intensidade, perdia poucas bolas e chegava com perigo contra o gol de Rafael – Foram duas bolas no travessão apenas nos primeiros minutos, enquanto o time mineiro articulava contra-ataques e jogava no erro do adversário.

Mas depois do gol anulado em um lance polêmico e muito discutível pelo VAR que o time de Diniz se desorganizou, e perdeu o poder ofensivo apresentado no começo da partida. O impedimento apontado pelo árbitro de vídeo mudou o panorama do jogo. Daí em diante, o controle foi dos mineiros. Alan Franco, duas vezes, colocou o time na frente do placar. Na segunda etapa, Jair, um dos melhores da partida, ampliou, fechando a conta em 3 a 0.

O JOGO

O São Paulo começou melhor a partida, pressionando o Atlético de Sampaoli e encontrando bons espaços para chutes de longa distância. Aos seis minutos, Tche Tche chutou de fora da área, mas Rafael espalmou. Luciano pegou o rebote sozinho, e chutou no travessão – a bola ainda sobrou para Pablo cabecear, mas ele erra a mira e a bola vai para fora. Pouco tempo depois, aos 13, Paulinho Boia tentou de longa distância, e de novo parou no travessão. Igor Vinícius cabeceou no rebote, e a zaga afastou para escanteio.

Leia também

Clubes da Série A começam a acumular desfalques por causa da Covid-19

Fora Luxa? Flavio desabafa e pede que Palmeiras cobre atletas: 'Querem sair ou vão começar a jogar?'

Surto no elenco: Boca Juniors confirma 18 jogadores com Covid-19

O Atlético-MG foi cirúrgico e quando pode, agrediu com perigo. A resposta para as oportunidades criadas pelo Tricolor foi com Sasha, lançado por Allan na meia direita em velocidade, que cruzou em direção ao gol e obrigou Volpi a espalmar pela linha de fundo. Embora mais agudo que o adversário, o São Paulo estava descalibrada, e parava nas mãos do goleiro Rafael.

Aos 28 minutos o amuleto Luciano apareceu novamente para o time sair na frente. Após exercer uma pressão na saída de bola atleticana, Tchê Tchê lançou o camisa 11 na entrada da pequena área, que se esticou e marcou o primeiro gol da partida. Em decisão polêmica, o VAR analisou o lance e decidiu invalidar o lance, alegando que o atacante são paulino estava – milimetricamente – em posição de impedimento.

O Tricolor não teve tempo de reagir a anulação do lance. Minutos depois, Alan Franco, desarmou Tchê Tchê no meio de campo, tocou para Jair e apareceu para receber, tocando na saída de Tiago Volpi. O time paulista parecia sentido a decisão da arbitragem, e depois do gol, se desorganizou no setor defensivo, e o Atlético se aproveitou da situação.

Rafael fez ligação direta com Sasha, que ajeitou de cabeça para Hyoran. De primeira, ele deu para Alan Franco fazer a infiltração. O equatoriano bate forte e marca o segundo gol atleticano, sem chances para Volpi. O VAR foi acionado mais uma vez para a checagem de um possível pênalti para o Atlético, mas nada foi marcado.

Na volta do intervalo, a intensidade demonstrada pelo Atlético-MG no fim da primeira etapa se repetiu, e o São Paulo começou perdido. O time mineiro aproveitou o bom momento e partiu para cima para aumentar a vantagem. O terceiro gol veio de bola parada, em escanteio cobrado por Guilherme Arana no lado direito do campo. Alonso foi mais alto que Igor Vinicius e ajeitou para o meio, onde a bola encontrou o volante Jair, que só teve o trabalho de cabecear para o fundo do gol.

O Tricolor tentou reagir com Luciano, que deu belo passe para Pablo finalizar na grande área. O camisa 9 limpou o lance para bater de perna esquerda, mas Mariano chegou com precisão para evitar o chute. No lance seguinte, de novo Luciano. Em escanteio de Igor Gomes, Rafael saiu do gol mas acabou se atrapalhando. Luciano dividiu, mas pegou mal e o goleiro ficou com a bola.

O VAR foi acionado novamente aos 21 minutos, e deixou jogadores e o treinador Fernando Diniz bastante irritados. O juiz preferiu checar um lance em que Diego Costa e Marquinhos disputavam a bola, mas havia a reclamação de uma falta no lance anterior, onde o atacante do Atlético teria cometido falta. O jogo seguiu marcações para ambos os lances, mas o comandante do Tricolor foi advertido com o cartão amarelo.

Depois do terceiro gol, Diniz promoveu algumas alterações para que o time pudesse correr atrás do prejuízo, mas era o Atlético que estava mais inteiro, e mesmo com as substituições, continuou controlando a partida. Já nos acréscimos, o Galo teve uma última oportunidade. Fábio Santos cruzou rasteiro para Marrony, mas o atacante chutou fraco, e a bola ficou com Volpi.

O próximo adversário do Galo é o o Coritiba, fora de casa, no próximo domingo, às 20h30. Com a vitória, o time chegou a terceira colocação na tabela de classificação, com 12 pontos. Vice-líder com 13 pontos, o São Paulo recebe o Fluminense, no sábado, no Estádio do Morumbi, às 16h.

ATLÉTICO-MG 3 X 0 SÃO PAULO

ATLÉTICO-MG – Rafael; Mariano, Igor Rabello, Alonso e Guilherme Arana (Fábio Santos); Jair (Savarino), Allan e Franco; Hyoran (Guga), Keno (Marquinhos) e Eduardo Sasha (Marrony).

SÃO PAULO – Tiago Volpi; Igor Vinícius, Diego Costa, Léo e Liziero; Tchê Tchê, Gabriel Sara (Vítor Bueno) e Hernanes (Igor Gomes); Luciano, Paulinho Bóia (Brenner) e Pablo (Toró).

GOLS – Alan Franco (34/1ºT e 44/1ºT) e Jair (14/2ºT)

CARTÕES AMARELOS – Fernando Diniz (22/2ºT)

ÁRBITRO – Jean Pierre Gonçalves Lima.

LOCAL –Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Fonte: JP

Comentários

Happy Kids
Tapiocaria Silva