Astro de "Pantera Negra", Chadwick Boseman morre de câncer aos 43 anos

O mundo perdeu na noite desta sexta-feira, 28, mais uma estrela do cinema. Aos 42 anos, Chadwick Boseman, ator conhecido por protagonizar o herói da Marvel, Pantera Negra, [...]

Por Juka Martins em 29/08/2020 às 11:42:33

O mundo perdeu na noite desta sexta-feira, 28, mais uma estrela do cinema. Aos 42 anos, Chadwick Boseman, ator conhecido por protagonizar o herói da Marvel, Pantera Negra, não resistiu a luta contra um câncer no cólon. A família do artista informou que ele enfrentava a doença, que foi descoberta no estágio 3, desde 2016. Ao longo desses quatro anos, ele gravou filmes e séries entre cirurgias e várias sessões de quimioterapia. Chadwick Aaron Boseman nasceu em novembro de 1977, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos. Filho de afro-americanos, a atuação não era a prioridade do bacharel em artes plásticas, que queria escrever e dirigir e só começou a entrar em cena para entender melhor como se relacionar com atores.

Leia também

'Ele flertava comigo o tempo todo', revela ex-assistente de Michael B. Jordan

Marvel publica tirinhas sobre rotina dos super-heróis na quarentena

The Weeknd e Kendrick Lamar são acusados de plágio por música de 'Pantera Negra'

O primeiro papel na televisão foi em 2003, em um episódio do seriado Third Watch. Chadwick também atuou nas séries Law & Order e CSI. No cinema, o primeiro papel como protagonista foi em 2013, no filme 42 – A História de uma Lenda, interpretando Jackie Robinson, o primeiro homem negro dos Estados Unidos a jogar basebol na Major League. No ano seguinte, o artista deu vida também a outra grande personalidade negra norte-americana. Em "Get on Up" ele representou o cantor James Brown. Chadwick Boseman entrou no universo Marvel em 2016, interpretando o herói T"Chala em " Capitão América: Guerra Civil". Dois anos depois, ele ganhou o próprio filme do Pantera Negra, a quinta produção mais rentável para a Marvel. A obra foi um dos grandes fenômenos da empresa de super-heróis e quebrou barreiras com um elenco majoritariamente negro. Por isso, o filme indicado ao Oscar de 2019 foi, para muitos críticos, um símbolo da representatividade negra nas telonas. Com o câncer avançado, já no estágio 4, Chadwick Boseman faleceu ao lado da esposa e da família, na cidade de Los Angeles. O legado como ator e representante da luta racial ficam agora para a eternidade.

*Com informações da repórter Camila Yunes

Fonte: JP

Comunicar erro

Comentários