Home / Notícias / Ricardo Coutinho chega aos 56 anos de vida considerado o melhor governador do Brasil

Ricardo Coutinho chega aos 56 anos de vida considerado o melhor governador do Brasil

18-11-2016-124214_coutuinho-niver

Hoje é o aniversário do governador Ricardo Coutinho e o blog mostra um pouco da vida desse cabra da peste, vencedor, decidido e competente.

Nascido no Bairro de Jaguaribe aos 18 de novembro de 1960 (56 anos), filho de pai agricultor e mãe costureira, Ricardo Coutinho estudou em escola pública, fez o segundo grau no Curso Águia e se formou em farmácia pela UFPB. Tinha tudo para ser uma pessoa comum, sem muitas pretensões de vitória na vida. Mas transformou-se no maior fenômeno eleitoral da Paraíba, derrotando caciques e protagonizando uma carreira meteórica e vitoriosa incomum no país: De 1993 a 2014 foi vereador, deputado estadual, prefeito e governador, sem nunca conhecer uma derrota.

Foi vereador de João Pessoa (1993-1999), deputado estadual (1999-2004) e prefeito da capital paraibana por duas vezes, sendo eleito pela 1ª vez em 2004 e reeleito em 2008. Renunciou à prefeitura de João Pessoa em 31 de março de 2010, durante o período de seu segundo mandato, para disputar o governo do estado da Paraíba, sendo eleito em segundo turno para o cargo de governador com 1.079.164 votos (53,70% dos votos válidos). Em 2014, é reeleito governador da Paraíba com a votação de 1.125.956 votos (52,61% dos votos válidos).

É filho de Coriolano Coutinho e Natércia Vieira, pai agricultor e mãe costureira, e tem dois filhos: Ricardo Filho “Rico” e Henri Coutinho.

Fez o “primário”, como se chamava naquela época, no Instituto La Salle e o “ginásio” foi cursado no Colégio 7 de Setembro, ambos no bairro de Jaguaribe. Parte de seu Segundo Grau foi feito na Escola Estadual Bairro dos Estados e o “3º ano científico” no Colégio Águia. Em 1977, passou no vestibular da UFPB, para o curso de Farmácia. Em 1978, ingressa no curso de Farmácia, período final da ditadura militar em que reaparecem os movimentos estudantis e que ocasiona o seu interesse por política.

Ajudou na reabertura Centro Acadêmico de Farmácia da UFPB em 1980, tornando-se, posteriormente, presidente do mesmo. Quando já formado em Farmácia, conquistou, via concurso público, uma vaga de farmacêutico no Hospital Universitário da capital paraibana. Neste período passou a ter contato com a Associação dos Funcionários da Universidade Federal da Paraíba, que foi o embrião do Sintes-PB.

Em 1984, aos 24 anos, o Ministério da Educação estava oferecendo um curso de especialização para farmacêuticos de Hospitais Universitários de todo país, existindo apenas 25 vagas, a UFPB o escolheu. No mesmo ano começa a especialização no Rio de Janeiro.

No Rio de Janeiro, aproveitou o fato de Leonel Brizola ter mandado liberar as catracas dos ônibus para que todos pudessem participar de um comício das Diretas Já, na Candelária, e foi junto. Naquele Estado começou a militar nos movimentos sindicais, participou intensamente dos movimentos em torno da criação da Central Única dos Trabalhadores.

Volta à Paraíba em 1985, implanta a modernização da farmácia hospitalar na UFPB. No movimento sindical, assume a presidência do Sindicato dos Farmacêuticos. Planejando juntar todas as categorias de saúde, funda o SindSaúde em 1990. Neste ano, foi dirigente da Central Única dos Trabalhadores (na área de comunicação do movimento) e foi candidato a deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores, não houve a menor chance de vitória, apesar disso sua votação surpreendeu.

Eis um retrato da carreira de Ricardo

1990: Filiado ao PT, é candidato a deputado estadual. Obtem 1.934 votos, e alcança a oitava suplência da coligação.
1992: Elege-se vereador de João Pessoa pela primeira vez com 1.381 votos.
1994: Novamente candidato a deputado estadual. Alcança a quarta suplência da coligação, contabilizando 6.353 votos.
1996: É reeleito vereador com 6.917 votos, obtendo o maior número de votos do pleito.
1998: Candidata-se a deputado estadual e se elege sendo o mais votado em João Pessoa e obtendo em todo estado 25.388 votos. Na Assembléia Legislativa, foi líder da oposição e presidente da Comissão de Saúde em dois mandatos.
2002: É reeleito deputado estadual, obtendo 47.912 votos e sendo o mais votado do pleito.
2003: Ricardo Coutinho deixa o PT após problemas internos e ingressa no PSB.
2004: Elege-se prefeito de João Pessoa em 1º turno com 215.649 votos (64,45% dos votos).
2005: Toma posse no dia 1º de janeiro de 2005 como prefeito de João Pessoa.
2008: Reelege-se prefeito da capital paraibana em 1º turno, obtendo uma expressiva votação de 262.041 votos (73,85% dos votos).
2009: É empossado para o seu segundo mandato de prefeito.
2010: Renuncia ao cargo de prefeito de João Pessoa em 31 de março para concorrer as eleições estaduais de 2010 como candidato a governador com o apoio de lideranças como o ex-governador cassado e atual senador Cássio Cunha Lima. Durante a campanha, fica em desvantagem em todas as pesquisas, mas ainda assim termina o 1° turno na frente por uma diferença de cerca de 8 mil votos, levando a eleição para o 2° turno e se elegendo governador da Paraíba no dia 31 de outubro de 2010, derrotando o então governador e candidato a reeleição José Maranhão do PMDB, obtendo a votação de 1.079.164 votos (53,70% dos votos).
2011: Toma posse no dia 1° de janeiro de 2011 como governador da Paraíba.
2014: É candidato a reeleição nas eleições estaduais de 2014 ao governo da Paraíba, enfrentando o senador e seu ex-aliado Cássio Cunha Lima do PSDB, com quem rompe politicamente. Termina o primeiro turno da eleição em desvantagem, obtendo 937.009 votos (46,05% dos votos), cerca de 28 mil votos a menos que seu principal adversário. No entanto, consegue virar o jogo no segundo turno e se reelege governador da Paraíba com 1.125.956 votos (52,61% dos votos) contra 1.014.393 votos (47,39%) dados a Cássio Cunha Lima, uma vantagem de cerca de 111 mil votos a mais que o seu principal adversário.
2015: É reempossado em 1° de janeiro de 2015 para o seu segundo mandato de governador da Paraíba.

Fonte: Blog do Tião Lucena

Créditos: Tião Lucena

Sobre Cristiano Ricelli

Cristiano Ricelli

Veja Também

Projeto cria Exame de Ordem para Médicos, assim como OAB para Advogados

Assim como os bacharéis em direito podem advogar somente depois de serem aprovados pela prova ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *