Home / Destaque / POLÍCIA PRENDE QUADRILHA ACUSADA DE HOMICÍDIO DE ESCRIVÃO DA POLÍCIA CIVIL EM ARARA

POLÍCIA PRENDE QUADRILHA ACUSADA DE HOMICÍDIO DE ESCRIVÃO DA POLÍCIA CIVIL EM ARARA

14569067_953095244817773_509217665_n 14580451_953095131484451_847576743_n 14607915_953095004817797_1598693187_n

Policiais civis e Militares prenderam no final da madrugada de hoje todos os envolvidos na morte do escrivão da Polícia Civil Marcos Antônio Rosa, ocorrida ontem a noite em Arara durante a comemoração da vitória do candidato a Prefeito daquele município.

Logo após o crime foram mobilizados cerca de 100 policiais civis e militares de João Pessoa, Campina Grande, Guarabira e de toda região de Solânea que atuaram sob a coordenação do Delegado Regional Luciano Soares, Delegado Seccional de Solânea Diógenes Fernandes e do Capitão José Ferreira, Comandante da 7ª CIPM.

Após informações colhidas no local do crime, os policiais foram a Cacimba de Dentro, onde todos os envolvidos estavam homiziados. Durante cerco a residência dos acusados houve confronto com os policiais, onde o menor Claudio Roberto Nascimento de Souza, vulgo “Bebeto”, 16 anos, veio a óbito. Segundo o apurado, “Bebeto” foi o autor dos disparos que vitimou o Escrivão Marcos Rosa. Juntamente com ele participaram da ação um menor de 15 anos e outro indivíduo que está foragido.

Ainda foram presos Pedro da Silva Santos, vulgo “Pezão”, 33 anos, acusado que fornecer a logística para o crime; Adriano Fidelis da Silva, vulgo “Nani”, 38 anos, acusado de ter levado os indivíduos que iriam praticar o crime da cidade de Cacimba de Dentro a Arara; Pedro Felinto da Silva Neto, vulgo “Neto”, 18 anos, e um menor de 17 anos, que são acusados de serem os responsáveis por apontar a vítima aos autores do crime.

Segundo o Delegado Diógenes Fernandes, o crime decorreu devido a forte atuação de Marcos Rosa na repressão do tráfico de drogas em Arara. “Marcos Rosa estava atuando de forma contundente em Arara, o que levou aos chefes do tráfico local a encomendar sua morte. Mesmo abalados com essa tragédia, mostramos que as forças policiais estão unidas para reprimir qualquer afronta ao Estado de forma rápida e incisiva”, destacou o Delegado.

Segundo o Delegado Luciano Soares, a morte foi encomenda de dentro do presídio. “As investigações convergem para que a ordem tenha vindo de presídio. O menor ‘Bebeto’ foi trazido de João Pessoa para matar policiais que estavam atuando em Arara, inclusive ele responde por tentativa de homicídio de policial militar em João Pessoa”, destacou. Segundo o Capitão José Ferreira, ação policial foi mais uma resposta de que as forças policiais estão unidas. “Logo após a notícia, vários policiais civis e militares de folga se apresentaram para participar das diligências, assim como equipes de toda região de Solânea, João Pessoa, Guarabira e Campina Grande se dispuseram rapidamente. Conseguimos montar uma grande operação com cerca de 40 viaturas e 100 policiais, onde conseguimos 100% de êxito.” Ainda segundo o Capitão, foram apreendidos os 03 revolveres utilizados no crime.

Todos os envolvidos foram levados a Delegacia de Solânea para serem atuados por formação de quadrilha, homicídio e corrupção de menor.

O Escrivão Marco Rosa, de 60 anos, tinha mais de 30 anos de serviços prestados a Polícia Civil do Estado da Paraíba, atuando em diversos municípios da região do Brejo. O velório ocorre em sua residência em Arara e o enterro ocorrerá as 16h no cemitério local.

A 7ª CIPM, assim como toda classe policial, lamenta a morte prematura deste grande policial civil que certamente cumpriu sua missão designada na terra. Que o General Celestial possa confortar sua família.

 

*_Seção de Comunicação e Marketing – 7ª CIPM_*

Sobre Cristiano Ricelli

Cristiano Ricelli

Veja Também

hqdefault

ASSISTA: Sobrevivente do voo da Chapecoense tem alta e grava vídeo de agradecimento

O comissário de bordo Erwin Tumiri, que sobreviveu à queda do avião que levava o ...

1 Comentário

  1. ALEKSANDRO ROCHA

    Ótima ação das polícias. Demonstram que, quando lhes convém, os crimes são rapidamente elucidados. Tenho certeza que a população do brejo e curimatau paraibano desejam o mesmo empenho e destreza quando forem praticados crimes contra o cidadão comum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *