Home / Destaque / POLÍCIA PRENDE QUADRILHA ACUSADA DE HOMICÍDIO DE ESCRIVÃO DA POLÍCIA CIVIL EM ARARA

POLÍCIA PRENDE QUADRILHA ACUSADA DE HOMICÍDIO DE ESCRIVÃO DA POLÍCIA CIVIL EM ARARA

14569067_953095244817773_509217665_n 14580451_953095131484451_847576743_n 14607915_953095004817797_1598693187_n

Policiais civis e Militares prenderam no final da madrugada de hoje todos os envolvidos na morte do escrivão da Polícia Civil Marcos Antônio Rosa, ocorrida ontem a noite em Arara durante a comemoração da vitória do candidato a Prefeito daquele município.

Logo após o crime foram mobilizados cerca de 100 policiais civis e militares de João Pessoa, Campina Grande, Guarabira e de toda região de Solânea que atuaram sob a coordenação do Delegado Regional Luciano Soares, Delegado Seccional de Solânea Diógenes Fernandes e do Capitão José Ferreira, Comandante da 7ª CIPM.

Após informações colhidas no local do crime, os policiais foram a Cacimba de Dentro, onde todos os envolvidos estavam homiziados. Durante cerco a residência dos acusados houve confronto com os policiais, onde o menor Claudio Roberto Nascimento de Souza, vulgo “Bebeto”, 16 anos, veio a óbito. Segundo o apurado, “Bebeto” foi o autor dos disparos que vitimou o Escrivão Marcos Rosa. Juntamente com ele participaram da ação um menor de 15 anos e outro indivíduo que está foragido.

Ainda foram presos Pedro da Silva Santos, vulgo “Pezão”, 33 anos, acusado que fornecer a logística para o crime; Adriano Fidelis da Silva, vulgo “Nani”, 38 anos, acusado de ter levado os indivíduos que iriam praticar o crime da cidade de Cacimba de Dentro a Arara; Pedro Felinto da Silva Neto, vulgo “Neto”, 18 anos, e um menor de 17 anos, que são acusados de serem os responsáveis por apontar a vítima aos autores do crime.

Segundo o Delegado Diógenes Fernandes, o crime decorreu devido a forte atuação de Marcos Rosa na repressão do tráfico de drogas em Arara. “Marcos Rosa estava atuando de forma contundente em Arara, o que levou aos chefes do tráfico local a encomendar sua morte. Mesmo abalados com essa tragédia, mostramos que as forças policiais estão unidas para reprimir qualquer afronta ao Estado de forma rápida e incisiva”, destacou o Delegado.

Segundo o Delegado Luciano Soares, a morte foi encomenda de dentro do presídio. “As investigações convergem para que a ordem tenha vindo de presídio. O menor ‘Bebeto’ foi trazido de João Pessoa para matar policiais que estavam atuando em Arara, inclusive ele responde por tentativa de homicídio de policial militar em João Pessoa”, destacou. Segundo o Capitão José Ferreira, ação policial foi mais uma resposta de que as forças policiais estão unidas. “Logo após a notícia, vários policiais civis e militares de folga se apresentaram para participar das diligências, assim como equipes de toda região de Solânea, João Pessoa, Guarabira e Campina Grande se dispuseram rapidamente. Conseguimos montar uma grande operação com cerca de 40 viaturas e 100 policiais, onde conseguimos 100% de êxito.” Ainda segundo o Capitão, foram apreendidos os 03 revolveres utilizados no crime.

Todos os envolvidos foram levados a Delegacia de Solânea para serem atuados por formação de quadrilha, homicídio e corrupção de menor.

O Escrivão Marco Rosa, de 60 anos, tinha mais de 30 anos de serviços prestados a Polícia Civil do Estado da Paraíba, atuando em diversos municípios da região do Brejo. O velório ocorre em sua residência em Arara e o enterro ocorrerá as 16h no cemitério local.

A 7ª CIPM, assim como toda classe policial, lamenta a morte prematura deste grande policial civil que certamente cumpriu sua missão designada na terra. Que o General Celestial possa confortar sua família.

 

*_Seção de Comunicação e Marketing – 7ª CIPM_*

Sobre Cristiano Ricelli

Cristiano Ricelli

Veja Também

IMG_1284-e1493082553798

Polícia prende suspeito de matar agente de trânsito em blitz da ‘Lei Seca’ na PB

Rodolpho Carlos foi preso cerca de 90 dias depois do caso Foi preso nesta segunda-feira ...

1 Comentário

  1. ALEKSANDRO ROCHA

    Ótima ação das polícias. Demonstram que, quando lhes convém, os crimes são rapidamente elucidados. Tenho certeza que a população do brejo e curimatau paraibano desejam o mesmo empenho e destreza quando forem praticados crimes contra o cidadão comum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *