Home / Geral / Justiça Eleitoral avalia primeiros impactos das novas regras de financiamento e prestação de contas: Ouça a matéria

Justiça Eleitoral avalia primeiros impactos das novas regras de financiamento e prestação de contas: Ouça a matéria

551bbb66-c104-4aaf-a7c5-a3a04f49ba96

 

Ouça o Áudio 

Transcrição LOC: FALTAM CINCO DIAS PARA O PRIMEIRO TURNO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2016, QUE INAUGURARAM NOVAS REGRAS DE FINANCIAMENTO ELEITORAL, PRESTAÇÃO DE CONTAS E PROPAGANDA POLÍTICA.

LOC: A JUSTIÇA ELEITORAL AVALIA OS PRIMEIROS IMPACTOS DESSAS MUDANÇAS, APROVADAS PELO CONGRESSO EM 2015. A REPORTAGEM É DE MARCELA DINIZ:

TÉC: Campanhas mais modestas, menos dias de horário eleitoral no rádio e na TV. Você pode não estar por dentro das novidades trazidas pela reforma aprovada pelo Congresso Nacional em 2015, com a Lei 13.165, mas já deve ter notado seus efeitos nas campanhas deste ano. Houve mudanças nas regras de prestação de contas e o calendário eleitoral foi reduzido, desde as convenções, que aconteciam no mês de junho e passaram para julho; o registro de candidaturas, que era em julho e passou para agosto; até a propaganda em rádio e TV, reduzida de 45 para 35 dias. De acordo com o ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Tarcísio Vieira, já podem ser notados pontos positivos e negativos dessas mudanças:

(Tarcísio) Dentre os positivos, a prestação de contas em tempo real, com critérios propiciatórios de um controle mais rigoroso por parte da justiça eleitoral. Dentre os negativos, ganha destaque esse sintetismo do calendário eleitoral: ele ficou muito curto e tornou inviável pra nós, da Justiça Eleitoral, o julgamento de tantos pedidos de registro de candidaturas até o dia das eleições.

(REP) As eleições municipais de 2016 também são as primeiras sem financiamento de empresas e com tetos de gastos. A Justiça Eleitoral ainda avalia os impactos da mudança, mas já foram notadas tentativas de burlar a lei:

(Tarcísio) Está sendo confirmada uma preocupação que é uma espécie de fuga para o “caixa dois”: alguns dinheiros não estão sendo contabilizados adequadamente nas prestações de contas e isso induz a conclusão de que esteja havendo burla à legislação eleitoral e até prática de crimes, com a participação, inclusive, de crimes organizados. Tanto o Ministério Público como a Justiça Eleitoral estão de olhos bem abertos, tudo está sendo apurado e vai ser investigado e punido com o máximo rigor, dentro de um devido processo legal.

(REP) Nas eleições deste ano, irregularidades nas campanhas podem ser denunciadas pelo celular, por meio do aplicativo “Pardal”, desenvolvido pela Justiça Eleitoral e disponível para os sistemas IOS e Android. De 18 de agosto a 25 de setembro, foram recebidas 32 mil denúncias de compra de votos, doações irregulares, abuso de poder político e econômico, entre outras fraudes. Da Rádio Senado, Marcela Diniz.

Sobre Cristiano Ricelli

Cristiano Ricelli

Veja Também

Inscrições do Concurso Público para professor da Rede Estadual vão até dia 05

As inscrições do concurso público para o cargo de Professor de Educação Básica 3 da ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *