Home / Destaque / Estudo da Abrinq revela desigualdades regionais no acesso e na qualidade da educação

Estudo da Abrinq revela desigualdades regionais no acesso e na qualidade da educação

Melhorar a educação infantil e reduzir as desigualdades entre as regiões brasileiras no acesso e na qualidade da educação é um dos principais desafios do país para cumprir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas.

A análise é de um estudo da Fundação Abrinq, lançado hoje, que analisa os objetivos relacionados à educação e ao trabalho, cujas metas devem ser alcançadas até 2030.

O estudo revela que enquanto a média brasileira de crianças de 4 e 5 anos matriculadas na pré-escola é de 91,6%, em estados como Acre, Amapá e Amazonas o índice fica entre 71% e 75%.

Os cinco estados com mais baixa oferta de pré-escola estão na Região Norte.

Segundo o Plano Nacional de Educação, todas as crianças nessa faixa etária deveriam estar matriculadas até 2016.

O estudo também revela que a cobertura de creches nos estados da Região Norte é bem menor do que a média do país. Enquanto no Brasil essa média é de 30,4%, no Amapá este índice é de 6,5% e no Amazonas, de 8,3%.

O documento diz ainda que se mantido o atual ritmo de ampliação das vagas, em especial o ritmo mais lento em regiões como o Norte e Nordeste, não será atingida a meta do Plano Nacional de Educação que é de atendimento de 50% das crianças, até 3 anos, em creches até 2024.

O estudo aponta também desigualdades na taxa de aprendizado do ensino e nas taxas de analfabetismo da população entre 10 e 17 anos, que também nos estados do Norte e Nordeste chegam a ser de quase o dobro da média nacional.

O estudo analisou também a situação do trabalho infantil no Brasil. E as desigualdades regionais seguem presentes.

A média nacional de ocupados entre 5 e 17 anos é de 5%, mas em estados como o Piauí, Sergipe e no Rio Grande do Sul, este percentual é maior, e fica entre 7%
Na Região Sul, 6,2% das crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos desempenham alguma atividade, remunerada ou não.

Procurados os ministérios da Educação e do Trabalho não se manifestaram sobre o estudo da Abrinq.

Sobre Cristiano Ricelli

Cristiano Ricelli

Veja Também

PF cumpre mandados de prisão de acusados de fraudes em fundos de pensão

Policiais federais cumprem hoje (12) dez mandados de prisão contra acusados de fraudar os fundos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *